Português Italian English Spanish

Delegado: “Foi só uma brincadeira; agi como uma pessoa normal”

Delegado: “Foi só uma brincadeira; agi como uma pessoa normal”

oão Eduardo Sampaio diz que "Dom Wagner" infringiu lei ao emprestar arma a amigo

Divulgação

O delegado João Eduardo Sampaio no vídeo em que ironiza influencer

THAIZA ASSUNÇÃO 
DA REDAÇÃO

O delegado João Eduardo Sampaio, de Poconé, afirmou que foi apenas uma "brincadeira entre amigos” o vídeo que fez na frente da delegacia da cidade ironizando o digital influencer Wagner Ilton do Carmo, chamado de “Dom Wagner” nas redes sociais.

 

A Polícia Civil apreendeu um revólver calibre 38 e um aparelho celular na casa do influencer, que é conhecido pelo bordão “passar bens”, na manhã desta sexta-feira (12).

 

Após a ação, começou a circular nas redes sociais um vídeo em que o delegado aparece usando óculos escuros (popularizados em memes na internet) na frente da delegacia e empunhando um rojão. Ele então se aproxima da câmera, passa o cabo da arma na testa e diz: "Passar mal, p....", numa referência ao bordão do influencer.

 

Foi uma brincadeira entre amigos. Nós aqui somos uma equipe muito unida, nem era para ter espalhado, foi só uma piadinha, mas não tinha nenhuma finalidade não

“Foi uma brincadeira entre amigos. Nós aqui somos uma equipe muito unida, nem era para ter espalhado, foi só uma piadinha, mas não tinha nenhuma finalidade, não. Na verdade eu nem tenho rede social, não entendo dessas coisas, não. Estou até um pouco surpreso”, disse o delegado em entrevista ao MidiaNews.

 

O delegado ressaltou que não é uma “máquina” e, na ocasião, agiu como uma “pessoa normal”.

 

João Sampaio ainda frisou que caso seus superiores entendam que ele agiu indevidamente, não tem nenhum problema em responder pelo fato.

 

“Veja bem: eu entendo que eu não sou uma máquina. Se alguém lá em cima entender que eu tenho que responder, eu respondo, não tem problema nenhum quanto a isso. Agi como uma pessoa normal . Sou uma pessoa descontraída, vivo de bem com a vida, estava entre meus amigos. Mas tá bom”, declarou.

 

"Deu mole"

 

O delegado contou que recebeu uma denúncia anônima de que o influencer publicou um vídeo em seu Instagram, em que o revólver de sua propriedade aparece no colo de outra pessoa. 

 

João Sampaio afirmou que reconheceu que a arma era de " Dom Wagner" porque em 2017 ele matou um ladrão, em legítima defesa, durante uma tentativa de assalto a sua residência.

 

Conforme o delegado, apesar de ter a autorização para portar a arma, o influencer não poderia emprestá-la, conforme determina o Estatuto do Desarmamento.

 

O delegado ressaltou que não há outras investigações em curso contra "Dom Wagner". 

 

“Eu nem tinha tinha visto esse vídeo que ele publicou, como eu disse antes, eu não tenho rede social. Eu tenho é muito trabalho, trabalho 14 horas por dia. Mas ele veiculou por si só a prática do crime, ou seja, deu mole, fez questão de entregar o ouro. E, quando recebi a denúncia, eu fui investigar", disse.

 

"E como entendo de armas, percebi que foi a mesma arma usada por ele em legítima defesa contra um cidadão que entrou na casa dele. Por isso, eu tive que autuá-lo”, afirmou. 

 

“Um cidadão de bem não entrega sua arma para outra pessoa, ainda mais uma pessoa que não tem porte. Eu não entrego minha arma para ninguém, eu sou um cidadão de bem, nem minha mãe pega a minha arma”, pontuou.

 

Famoso no Instagram

 

Dom Wagner ficou conhecido na Baixada Cuiabana por ostentar uma vida de luxo nas redes sociais.

 

Com mais de 19 mil seguidores no Instagram, ele publica diversos vídeos em carros de luxo e fazendo exposições com dinheiro em espécie. Em um de seus vídeos, ele limpa o suor na testa com um maço de notas de R$ 100.