Português Italian English Spanish

Intervalo para aplicação da dose de reforço é reduzido para 4 meses em todo o estado de Mato Grosso

Intervalo para aplicação da dose de reforço é reduzido para 4 meses em todo o estado de Mato Grosso


Anteriormente o prazo era de 5 meses após a aplicação da segunda dose

Ana Lazarini e Fernanda Nazário | SES - MT

SES MT

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto: Cristine Rochol

A Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) decidiu pela antecipação do prazo de aplicação da dose de reforço contra a Covid-19. O reforço passará a ser aplicado após quatro meses da conclusão do esquema vacinal. A medida contempla todos os públicos já imunizados contra o coronavírus.

Caberá agora às prefeituras decidir a dinâmica da aplicação da terceira dose. No entanto, já há a previsão de que o intervalo seja reduzido já nos próximos dias em Barra do Garças.

“Essa é uma medida importante para alcançarmos de forma mais rápida uma cobertura satisfatória da dose de reforço. A decisão já está valendo em Mato Grosso e as Prefeituras devem atualizar a dinâmica de aplicação do reforço”, ponderou o secretário de Estado de Saúde e presidente da CIB, Gilberto Figueiredo.

A decisão de antecipar a aplicação da dose de reforço – de cinco para quatro meses – se deve ao risco de circulação de novas variantes e à baixa procura da população pela segunda dose e dose de reforço com o prazo que estava vigente.

Para o secretário adjunto de Vigilância em Saúde da SES, Juliano Melo, a antecipação da dose de reforço melhora a proteção da população para o risco de reinfecção e a infecção por novas variantes. “Essa medida contribuirá para a diminuição da circulação do vírus na população e ajudará a conter a pandemia no estado”, explica o gestor.

O presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso (Cosems-MT), Marco Noberto Felipe, acredita que essa mudança é de suma importância para o Estado considerando a nova variante ômicron.

“Está claro que a vacina tem ajudado muito na questão do controle da pandemia no país e tomamos essa decisão de forma unânime. Agora iremos realizar uma força tarefa de chamamento da população que se enquadra nesse prazo de quatro meses para se imunizar”, concluiu.