Português Italian English Spanish

Botelho afirma que auditoria em sistema de votação na AL é impossível: “quebraria sigilo do voto”

Botelho afirma que auditoria em sistema de votação na AL é impossível: “quebraria sigilo do voto”


Da Redação - Airton Marques / Do Local - Max Aguiar

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Presidente Eduardo Botelho entre os deputados Dilmar Dal Bosco e Carlos Avalone, durante sessão na AL

Presidente Eduardo Botelho entre os deputados Dilmar Dal Bosco e Carlos Avalone, durante sessão na AL

O presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), deputado Eduardo Botelho (DEM), afirmou ser impossível realizar vistoria na votação que manteve o veto do governador Mauro Mendes (DEM), ao Projeto de Lei Complementar (PLC) n° 36, que isentava do pagamento do desconto previdenciário, aposentados e pensionistas que ganham até R$ 6,1 mil. Na semana passada, os deputados, por 12 a 11, mantiveram a decisão do Palácio Paiaguás.

Autor do projeto, Lúdio Cabral (PT) questionou o resultado da votação e pediu que Botelho ordene auditoria no sistema de votação, uma vez que, conforme posicionamento por meio das redes sociais e imprensa, mais de 11 parlamentares garantiram ter votado pela derrubada do veto. Como a conta não fechou, o petista quer descobrir se houve algum erro na contagem dos votos, que são feitos por meio de um tablet disponibilizado a todos os 24 deputados.

Mas, de acordo com Botelho, não há como “quebrar” o sistema, sem que o sigilo do voto seja mantido. “Auditoria no sistema é impossível fazer, pois teria que quebrar o sigilo. E isso quebraria toda a regra da votação. Agora, se ele quiser fazer um simulado, para ver se condiz com a realidade, estou pronto para fazer com ele. Inclusive, o convidei a fazer uma votação simulada. Já fizemos isso antes. Alguém acha que iríamos implantar um sistema sem antes testar? Ele é totalmente real e seguro”, disse, antes e durante a sessão desta terça-feira (16).

O presidente da Assembleia ainda ironizou o fato de Lúdio ter contado com mais votos para a derrubada do veto, antes da sessão. O petista disse que foi surpreendido com o resultado, já que mais de 11 colegas teriam garantido apoio.

“Tem muitos candidatos a vereador e prefeito que acham que tem o voto, mas não apareceu na urna. Na verdade, não tinha. A verdade é a que está no painel. É aquela quantidade de votos. Se tem um numero maior de votos declarados, não é real. Sistema é totalmente seguro, não tem condições de ser quebrado”.

Os deputados que divulgaram voto pela derrubada do veto foram: Lúdio, Paulo Araújo (PP), Silvio Fávero (PSL), Delegado Claudinei (PSL), Ulysses Moraes (PSL), Carlos Avalone (PSDB),  João Batista (Pros), Elizeu Nascimento (PSL), Janaina Riva (MDB), Wilson Santos (PSDB), Allan Kardec (PDT), Faissal Kalil (PV), Valdir Barranco (PT) e Thiago Silva (MDB).

Voto secreto

Botelho ainda reforçou sua defesa pelo voto secreto em algumas votações, como na análise de vetos do governador. Avalia que é uma forma de garantir a liberdade dos deputados. Sobre o projeto de lei do deputado Wilson, tornando a votação aberta, irá tramitar normalmente.

“Tem alguns outros projetos (que tratam do voto aberto), mas todo projeto que tira a condição do voto secreto nesses projetos polêmicos, como derrubada de veto e contas de governo e eleição, sou favorável manter. Vamos aguardar o andamento dos projetos”, completou.