Português Italian English Spanish

Bolsonaro diz que não há 'sequer um hectare de selva devastada' na Amazônia

Bolsonaro diz que não há 'sequer um hectare de selva devastada' na Amazônia


De janeiro a setembro, a região registrou o maior número de focos de incêndio desde 2010, segundo o Inpe.

Por Guilherme Mazui, G1 — Brasília

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quinta-feira (22) que convidará diplomatas estrangeiros a visitarem a floresta amazônica e que eles não verão "nada queimando ou sequer um hectare de selva devastada".

"Estamos ultimando uma viagem Manaus-Boa Vista, onde convidaremos diplomatas de outros países para mostrar naquela curta viagem de uma hora e meia, que não verão em nossa floresta amazônica nada queimando ou sequer um hectare de selva devastada", afirmou.

Bolsonaro deu a declaração na cerimônia de formatura do Instituto Rio Branco, no Palácio do Itamaraty.

Nesta quinta-feira (22), começou a valer a decisão do Ibama determinando a interrupção, em todo o país, das brigadas de incêndios florestais. De acordo com o órgão a medida foi motivada por "indisponibilidade financeira".

Dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) mostram que o número de focos de incêndio registrados na Amazônia de janeiro a setembro deste ano foi o maior desde 2010. Naquele ano, foram 102.409 pontos de fogo na floresta de 1º de janeiro a 30 de setembro; em 2020, no mesmo período, foram 76.030.

Também de acordo com o Inpe, a Amazônia Legal teve uma área de 964 km² sob alerta de desmatamento em setembro, a segunda maior em cinco anos, mostram dados atualizados no início de outubro.

A Amazônia Legal corresponde a 59% do território brasileiro, e engloba a área de 8 estados (Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) e parte do Maranhão.

A intenção de levar diplomatas para uma viagem à Amazônia foi anunciada em setembro pelo vice-presidente Hamilton Mourão, que comanda o Conselho Nacional da Amazônia Legal.

Mourão decidiu organizar a viagem após receber carta assinada por oito países europeus que dizem que o aumento do desmatamento dificulta a compra de produtos brasileiros.

A ideia era realizar a viagem em outubro. Porém, o governo ainda não confirmou uma data. Mais de uma vez Mourão afirmou que o governo planeja levar à Amazônia um grupo de embaixadores de países de diferentes regiões, não apenas representantes de europeus.