Português Italian English Spanish

Filipinho dá show, bate Slater e avança às quartas; Medina também se classifica em Saquarema

Filipinho dá show, bate Slater e avança às quartas; Medina também se classifica em Saquarema


Por: GLOBOESPORTE.COM

https://www.cenariomt.com.br/wp-content/uploads/2019/06/1-284-696x464.jpg

FOTO: WSL / Poullenot

A praia da Barrinha lotada vibrou com uma tarde de surfe de alto nível neste sábado. Primeiro com a vitória emocionante de Filipe Toledo contra Kelly Slater. Depois com Gabriel Medina derrotando o taitiano Michel Bourez. Os dois estão classificado para as quartas de final e podem fazer uma final brasileira na etapa de Saquarema do Circuito Mundial de surfe. No feminino, Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb também se classificaram para o último dia de competição, que, ao que tudo indica, será neste domingo.

Já os brasileiros Jessé Mendes, Deivid Silva, Michael Rodrigues e Tainá Hinckel não tiveram o mesmo sucesso e foram eliminados, terminando em 9º na competição.

Com um lindo aéreo e um tubaço, Filipinho levou a melhor no aguardado duelo com o 11 vezes campeão do mundo. O atual número 6 do mundo se manteve na briga pelo bicampeonato em Saquarema-RJ e agora vai enfrentar o japonês Kanoa Igarashi.

– Depois de duas eu já estava engasgado com o careca (Slater). Quando veio aquela bomba no fim eu quase caí no drop, mas Deus me segurou e eu consegui completar para sair daquele tubo. Não tinha jeito melhor de vencer. Está 2 a 1 para ele. É aquela pedra no sapato de todo mundo. O cara tem quase 50 anos e ainda está dando trabalho pra gente – disse Filipinho.

Filipinho havia perdido os dois últimos duelos com Slater (em Pipeline no ano passado e Keramas neste ano), mas desta vez o brasileiro mostrou que em Saquarema ele manda. Atual campeão da etapa de Saquarema e vencedor também em 2015 no Rio de Janeiro, Filipinho lidou bem com a mudança da prova do canto esquerdo de Itaúna para a Barrinha neste sábado.

A superbateria teve 46 minutos, mas Filipinho não precisou nem de dez para encontrar sua primeira grande onda. Foram três manobras: uma rasgada, um lindo aéreo reverse e uma batida que lhe renderam 9,17 pontos para abrir a bateria. Até o momento a melhor nota da etapa de Saquarema.

Mas não à toa Kelly Slater tem 11 títulos mundiais. O americano encontrou um tubaço para tirar uma nota ainda melhor: 9,50. Só não assumiu a liderança porque a segunda onda de Filipinho era maior. O americano chegou a virar o placar nos minutos finais, mas antes mesmo de receber sua nota sabia que não ficaria na liderança por muito tempo. É que logo na sequência o brasileiro também encaixou um belo tubo para tirar 8,67 pontos e garantir a vitória por 17,84 a 14,83 no somatório.

– Foi um bom início, sabia que aquela onda era para mais de nove pontos. Depois tentei encontrar as ondas. Fiquei feliz por encontrar essa última e aqui estou. É inacreditável. Nada é parecido com isso – disse Filipinho.

Kelly Slater fez elogios a Filipinho depois do grande duelo. O americano teve de fazer gelo na mão. Nos últimos minutos da bateria, na tentativa de uma virada, Slater pegou carona com o jetski para se posicionar melhor no mar, só que uma onda virou o jetski com o americano junto.

– Eu não sei direito o que houve. Eu rolei com o jetski e bati com a minha mão em algum lugar. Acho que pode ter quebrado.

Medina passa sem sustos

A emoção que sobrou na bateria de Filipe foi menos intensa no confronto do bicampeão mundial. Medina controlou quase todo o confronto contra o taitiano Michel Bourez e venceu com certa tranquilidade: 14,43 a 9,27. Se Gabriel e Filipinho passarem mais duas baterias cada, eles poderão fazer uma final Brasileira em Saquarema.

John John vence, mas se lesiona

Bicampeão mundial e líder do ranking, John John Florence sentiu uma lesão no joelho direito depois de arriscar um backflip. Ele abandonou a bateria contra o australiano Wade Carmichael faltando 10 minutos para o fim, mas mesmo assim venceu o confronto por 12,66 a 10,33.

– Foi o mesmo joelho que eu sofri a lesão no ano passado. Está muito forte lá fora, me empolguei e tentei fazer um grande aéreo. Vou avaliar com os médicos essa noite para ver se vou ter condições de voltar amanhã. A temporada ainda vai ser longa, então não quero forçar nada. Se não der pra surfar, vou fazer minha recuperação durante umas semana em casa e tentar voltar na próxima etapa.