Português Italian English Spanish

Em uma semana de volta às aulas escola estadual registra três casos de professores contaminados com Covid-19

Em uma semana de volta às aulas escola estadual registra três casos de professores contaminados com Covid-19


Da Redação Olhar Direto

Foto: Reprodução

?Covid na escola

Na Escola Estadual Jaime Veríssimo de Campos Júnior, conhecida como Escola Jaiminho, localizada no Bairro Jardim Tarumã em Várzea Grande, três professores foram contaminados com Covid-19. As infecções ocorrem após uma semana de retorno às aulas na rede estadual de ensino. Nos dias 2 e 3 de agosto a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) realizou lives inaugurais de volta às aulas na modalidade híbrida, voltadas a todos os servidores. Já o acolhimento aos estudantes começou na quarta-feira (04), em revezamento. O Olhar Direto apurou que, mesmo seguindo os protocolos de biossegurança repassados pela Seduc, os profissionais da educação foram contaminados. O presidente do Sintep-MT, Valdeir Pereira, disse que "infelizmente situações como essa já eram previstas, mas o governo do estado, de maneira irresponsável, forçou o retorno presencial sem oferecer condições sanitárias seguras. Além disso, nós protocolamos essa semana um ofício junto à Seduc-MT, Seplag e Casa Civil, exigindo a testagem em massa da comunidade escolar e de maneira constante. Sabemos que alguns casos são assintomáticos e sendo assim, uma pessoa infectada pode estar dentro da escola espalhando o vírus para muitos outros, gerando a explosão de casos de Covid".

Nota da Seduc:

Sobre casos de Covid-19 na Escola Estadual Jaime Veríssimo de Campos Junior, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) esclarece:

A Escola Estadual Jaime Veríssimo de Campos Júnior, em Várzea Grande, informou que houve três casos de professores com resultado positivo para Covid-19 e que destes apenas um teve contato com estudantes.
A Seduc orientou a escola a seguir o plano de contingência que determina: quando algum profissional ou aluno de uma das bolhas de relacionamento apresentar sintomas, contrair o vírus ou estiver em contato com alguém infectado, toda a bolha deverá entrar em quarentena pelo período recomendado nos protocolos vigentes (14 dias). 

A Seduc-MT reforça a necessidade das escolas inserirem as informações sobre casos suspeitos ou confirmados no Indica-SUS.