Português Italian English Spanish

Covid dispara entre os jovens em MT; aglomerações são causas

Covid dispara entre os jovens em MT; aglomerações são causas


São mais de 4 mil casos entre pessoas entre 21 e 30 anos; número é superior ao grupo de risco


Da Redação Folha Max

 
examecovid.jpg

 

O número de casos do novo coronavírus tem aumentado drasticamente entre os mais jovens, em Mato Grosso. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, já são mais de 4.419 que contrairam a Covid-19 dentro da faixa etária de 21 a 30 anos de idade. O montante representa 30% dos 22.078 infectados em todo Estado até esta segunda-feira (6). 

No levantamento, os números ultrapassam quase três vezes o índice dos 1.496 casos confirmados em pessoas que fazem parte do grupo de risco, que no caso são idosos que possuem entre 61 e 70 anos idade. Segundo secretário de Ordem Pública, Leovaldo Sales, a escalada de testes positivos entre os mais novos é resultado das aglomerações em festas, campo de futebol, praças e reuniões entre amigos. 

“Os jovens estão sem atividades, sem aulas e sem as opções de lazer. Então eles acabam não obedecendo as regras de restrições para o isolamento social. É muito comum todos os dias a gente receber inúmeras denúncias de jovens concentrados em campos de futebol, quadras esportivas e outros espaços que eles podem se reunir”, disparou. 

A infectologista Danyenne Rejane faz um alerta para os mais novos que insistem em menosprezar a pandemia. “É importante saber que os jovens não estão imunes a doença. Com o maior número de casos acontecendo, a chance de gravidade nesses indivíduos aumentam também. Os jovens precisam evitar essa exposição. É muito importante falar desse assunto principalmente nesse momento em que estamos com poucos leitos nas unidades de saúde”, pontuou. 

 
 

O auxiliar administrativo, Wender Campos, perdeu o namorado, Willian Neder Coener Junior, de 23 anos. O rapaz morreu num edifício localizado no bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá, ao apresentar sintomas do novo coronavírus.  

Após a morte do companheiro, ele também acabou contraindo a doença e precisou ficar internado durante 13 dias no pronto-socorro de Cuiabá. “Infelizmente o Willian foi. É mais uma das milhões de pessoas vítimas da Covid-19. É muito importante que as pessoas se cuidem, fiquem em casa. É preciso ter esperança de que tudo isso vai passar”, concluiu.