Português Italian English Spanish

Secretário prevê colapso na saúde em poucos dias e critica população por "banalizar" pandemia

Secretário prevê colapso na saúde em poucos dias e critica população por "banalizar" pandemia


Atualmente, taxa de ocupação das UTIs é de 45% e vem crescendo rapidamente


Da Redação Folha Max

 
gilbertomascaras.jpg

 

O secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, admitiu que o sistema de saúde entrará em colapso nos próximos dias se os números de casos continuarem aumentando no Estado. Em entrevista à Rádio Mega FM, na manhã desta segunda-feira (8), o chefe da Saúde demonstrou preocupação com o nível de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI), que vem crescendo rapidamente nos últimos dias. 

“Se continuar o ritmo de crescimento da infecção no Estado, se continuar as medidas não farmacológicas que não sendo tão efetivamente implementadas pela população em geral, não estamos muito longe de ter um colapso na rede hospitalar. Em especial nesse item que é o principal, o mais importante de todos, que são os leitos de UTIs”, disse. 

Dos 4.033 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso neste domingo (7), 2.437 estão em isolamento domiciliar e 1.243 estão recuperados. No entanto, 240 pacientes estão hospitalizados, sendo 118, em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 122, em enfermaria. No boletim divulgado pela pasta, a taxa de ocupação desses leitos já estão em 45,6%. 

“Não dá para esconder que aqui em Mato Grosso ainda teremos dias difíceis. Tínhamos uma taxa de ocupação baixa, mas esse conforto não existe mais. A epidemia, nesse momento, cresce numa velocidade muito grande”, disse. 

 
 

Durante a entrevista, Figueiredo voltou a apontar a falta de responsabilidade da população, que continua insistindo em descumprir o isolamento social e as medidas de segurança do vírus. Segundo ele, muitas pessoas estão banalizando a pandemia.

“As pessoas ainda estão banalizando a pandemia do Covid-19, achando que não serão afetadas. Ainda é menos doloroso, menos custoso que a população atenda ao apelo de ficar em casa, evitar aglomeração e usar máscara”, finalizou.